> Palavras não ditas.: Maio 2011

Você diz ...


.

...que ama a chuva,mas você abre seu guarda-chuva quando chove. Você diz que ama o sol, mas você procura um ponto de sombra quando o sol brilha. Você diz que ama o vento, mas você fecha as janelas quando o vento sopra. É por isso que eu tenho medo. Você também diz que me ama.


William Shakespeare

O medo de confiar.


.


A ingenuidade e a credibilidade excessiva fazem tão mal quanto a desconfiança total. A primeira coisa para confiar em alguém é observar os fatos da realidade e não ficar pensando o que é ou deveria ser baseado em seus medos. Mas tão importante também é olhar o histórico
afetivo das pessoas, uma pessoa sem afeto não tem ética alguma. A pessoa sem afeto é capaz de qualquer coisa para satisfazer seu desejo imediato, passando em cima de qualquer preceito ou valor. Quem confia sem analisar antes tende a perder muito, mas quem não confia em ninguém também não constrói laços afetivos nem companheirismo. E perde muito mais. Se não nos arriscarmos a perder um pouco na vida, se tivermos a ilusão de passar pela vida sem sofrermos, sem nos enganarmos, vai ser uma vida pobre, de tristeza e de muita solidão. É necessário que todos nós trabalhemos nossas desconfianças, mas, muito mais que isso, devemos trabalhar antes tudo o medo de nós mesmos. Acredito que o ser humano é o único ser vivo do planeta que tem capacidade de se destruir e que vai muito além de se matar, pois quando ele mata em si mesmo a capacidade de amar, ele não morre sozinho, mas leva com ele todos os que o amam junto com suas esperanças.

Antônio Roberto